Alesc, a UFSC merece respeito!

Há pouco mais de uma semana, a Universidade Federal de Santa Catarina passou a ocupar o 9° lugar no ranking das melhores universidades da América Latina segundo a respeitada Times Higher Education, pela sua extensa lista de atividades e grande contribuição ao público. Nesta mesma semana, a Alesc aprovou uma moção descabida de repúdio à […]

15 jul 2020, 15:05
Alesc, a UFSC merece respeito!

Há pouco mais de uma semana, a Universidade Federal de Santa Catarina passou a ocupar o 9° lugar no ranking das melhores universidades da América Latina segundo a respeitada Times Higher Education, pela sua extensa lista de atividades e grande contribuição ao público. Nesta mesma semana, a Alesc aprovou uma moção descabida de repúdio à instituição. Esse ato só pode ser explicado de duas formas: desinformação sobre o funcionamento da instituição ou puro mau-caratismo.

Se for o primeiro caso, vamos ajudar a explicar: Em tempos normais, é a casa e o dia-a-dia de 70 mil estudantes, professores e técnicos-administrativos altamente qualificados e dedicados. Durante a pandemia, a UFSC atende a comunidade com o Hospital Universitário e com o Serviço de Atenção Psicológica (SAPSI), pesquisa saídas socioeconômicas para crise brasileira, produziu 6 mil litros de álcool 70%, está produzindo respiradores de baixo custo para hospitais do Brasil inteiro, fabricou 3 mil máscaras que chegaram em 40 cidades de todo o estado, além de ter descoberto que o coronavírus já estava presente na cidade desde novembro de 2019, mudando a forma como os epidemiologistas olham pra nossa cidade e para a expansão da doença.

Todas essas atividades seriam impossibilitadas se o ensino não fosse público, se não houvesse financiamento, respeito e participação dos cidadãos de Florianópolis. O ensino público tem em sua concepção o objetivo de pensar “pra dentro”, para os nossos próprios desafios, as nossas mazelas sociais e o nosso verdadeiro lugar no mundo, para que assim possamos desenvolver soluções que dignifiquem o povo brasileiro, que defendam nossa cidadania, nossas riquezas naturais e para que pensemos o nosso próprio desenvolvimento.

Se for o segundo motivo, escancara que atos como esses capitaneados por deputados desinteressados na educação só servem para espalhar mentiras e tentar desmoralizar a UFSC frente à sociedade catarinense. Não é digno da casa legislativa estadual o espalhamento de mentiras sobre a pesquisa, o ensino e a extensão da Universidade, além de ser um ataque a um patrimônio dos catarinenses e dos manezinhos.

Eu defendo a UFSC!