Cultura e comunicação

Entendemos que não existe democracia sem diversidade cultural. A cultura em Florianópolis vai muito além do açorianismo. Reconhecer a cultura preta e periférica como patrimônio cultural imaterial de Florianópolis é necessário. A desmercantilização, despatriarcalização e descolonização da cultura são objetivos a serem alcançados.

Da mesma forma, não há possibilidade de democracia sem acesso à informação plural, diversificada e verdadeira. O fenômeno das notícias falsas, em redes criminosas de disseminação de mentiras, são ameaças reais e concretas a serviço de projetos autoritários e antidemocráticos. Neste sentido, devemos atuar para fortalecer mecanismos de comunicação públicos e a difusão de notícias produzidas por profissionais competentes para tal. 

  • Apoiar a produção cultural vinda das periferias, da juventude, dos territórios indígenas, quilombolas e de matriz africana;
  • Trabalhar em prol da integração e transversalidade da arte e cultura em todos os setores da vida social, como a educação, o esporte, o meio ambiente, comunicação e trabalho;
  • Promover acesso à cidadania e ao direito cultural através de políticas em parceria com as escolas públicas e organizações da sociedade civil;
  • Defender o acesso a bens e equipamentos culturais, rompendo com as desigualdades que reduzem esse direito a uma pequena parcela da população florianopolitana;
  • Ampliação da infraestrutura cultural, democratização e co-gestão dos equipamentos públicos, tendo como horizonte a universalização do acesso à cultura;
  • Defesa da universalização do acesso à banda larga, estímulo à apropriação tecnológica e autonomia no campo das tecnologias e plataformas digitais e abertas dando condições para o florescimento de uma cultura popular digital que impulsione a cidadania e a governança digitais;
  • Lutar pela reestruturação da TV Câmara de Florianópolis, com servidores efetivos, programação em rede aberta destinada a conteúdos educativos e de cidadania;
  • Fomentar a criação e execução de projetos culturais com a população carcerária de Florianópolis em parceria com o governo estadual;
  • Propor a reformulação da legislação referente ao audiovisual e do Fundo Municipal de Cinema – FUNCINE, criando e fortalecendo linhas de promoção da democratização, descentralização, formação, distribuição e exibição de audiovisual, além de facilitar e desburocratizar o financiamento para pessoas físicas e coletivos;
  • Propor alterações legislativas para que o Fundo Municipal de Cultura tenha uma dotação orçamentária própria e contínua, incluindo comissões julgadoras plurais e democráticas;
  • Propor um Conselho Municipal de Comunicação Social, colegiado para garantir o combate às campanhas de desinformação e o respeito aos direitos humanos nos meios de comunicação locais;
  • Propor a criação de uma política municipal de combate ao ódio, desinformação e às Fake News;
  • Proteger e salvaguardar o patrimônio cultural e natural do município;
  • Defender transparência e participação efetiva da população na gestão das políticas culturais através de conferências, co-gestão de equipamentos públicos, mecanismos tecnológicos e demais métodos horizontais de formulação, gestão e decisão;
  • Propor, a partir do debate com o setor, a criação de uma Lei Municipal de Incentivo ao Teatro.