PSOL oficializa candidaturas de Elson e Camasão neste domingo

O PSOL de Florianópolis realiza sua convenção partidária no próximo domingo, dia 6, às 19 horas, quando formalizará o nome do professor Elson Pereira como candidato a prefeito e . O encontro será presencial, com todos os protocolos de prevenção ao coronavírus, na sede do partido. Elson, que alcançou 20,06% dos votos e ficou em […]

3 set 2020, 07:33
PSOL oficializa candidaturas de Elson e Camasão neste domingo

O PSOL de Florianópolis realiza sua convenção partidária no próximo domingo, dia 6, às 19 horas, quando formalizará o nome do professor Elson Pereira como candidato a prefeito e . O encontro será presencial, com todos os protocolos de prevenção ao coronavírus, na sede do partido.

Elson, que alcançou 20,06% dos votos e ficou em terceiro lugar no último pleito, foi escolhido para liderar a maior frente de esquerda dos últimos 24 anos na capital, com expressiva chance de chegar ao segundo turno.

Na reunião, também serão homologadas as candidaturas ao legislativo, dentre elas, a do jornalista Leonel Camasão, presidente do partido. Camasão concorreu ao governo do Estado em 2018 e obteve mais de 19 mil votos na capital (leia a bio). O PSOL espera dobrar a bancada atual da Câmara Municipal de dois para quatro representantes.

O nome de Elson foi indicado como pré-candidato do PSOL em novembro de 2019. Em 8 de agosto deste ano, reconhecido como nome da unidade pelo movimento “Floripa Pra Frente”, composto por nove partidos e organizações políticas (PSOL, PDT, PT, PCdoB, PSB, REDE, UP, PCLCP e UCB). O movimento do campo progressista e popular se uniu para vencer o bolsonarismo e o histórico de governos conservadores na capital, salvo o hiato entre 1993 e 1996, do governo Sérgio Grando e Afrânio Boppré.

Devido à pandemia, a convenção será restrita aos 15 membros do Diretório Municipal, que vão homologar o resultado da plenária virtual com as filiadas e os filiados, prevista para sábado, dia 5, às 14 horas.

Diversidade na chapa proporcional

Na convenção, também serão aprovadas as candidaturas proporcionais para as eleições de 15 de novembro, além do programa de governo e da política de alianças. O PSOL deve apresentar 30 candidatas e candidatos. Conforme o presidente do partido em Florianópolis, Leonel Camasão, essa será a chapa da legenda com maior diversidade nos últimos tempos, tanto no que diz respeito à representatividade de movimentos (entre eles feminista, negro, LGBTQIA+), quanto ao espaço territorial, com postulantes de todas as regiões da cidade.

De acordo com Camasão, também pré-candidato a vereador, a expectativa é que a sigla mantenha a tendência de crescimento e eleja quatro legisladores. Na última disputa, o partido elegeu três parlamentares. Os atuais representantes, Marquito e Afrânio Boppré, têm forte potencial de reeleição.

Única saída contra o bolsonarismo

Segundo o professor Elson, a vitória do movimento Floripa para Frente permitirá uma gestão voltada ao povo, ao invés de privilegiar o mercado imobiliário e turístico, assim como a supressão de direitos sociais. A coalizão “representa um compromisso com as questões ligadas à vida das pessoas, à saúde, à educação, ao espaço onde elas moram. Por isso, a frente de esquerda é o fato político mais importante dos últimos anos em Florianópolis”, considera.

Para reverter o cenário de conservadorismo na capital do estado onde mais se votou em Bolsonaro, Camasão é contundente ao dizer que a unidade do campo popular democrático deve estar acima dos interesses particulares de cada organização. “Podemos não estar em uma ditadura, mas, como diz Petra Costa, a democracia está em vertigem no Brasil. Elson e a frente de esquerda são a única solução para Florianópolis, pois os outros candidatos se aliam ao presidente, quatro deles de forma ‘envergonhada’ e os outros dois bem assumidos”, conclui.

Quem é Elson

Natural de Florianópolis, Elson Manoel Pereira, 57 anos, é professor de planejamento urbano na graduação e leciona na pós-graduação de geografia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Graduado em engenharia civil e mestre em administração pública pela mesma instituição de ensino, é doutor em urbanismo pelo Instituto de Urbanismo de Grenoble e pós-doutor em Geografia pelo Instituto de Geografia Alpina, ambos na França. Foi professor convidado na França, Canadá e Coimbra.

Candidato por duas vezes à Prefeitura de Florianópolis, Elson obteve 51.106 votos, ou 20,60% dos votos válidos no último pleito, ficando em terceiro lugar, a quatro pontos da segunda colocada. Também se candidatou duas vezes para deputado estadual, sendo que foi o mais votado na capital em 2018.

Como estudioso do urbanismo, contribuiu na elaboração de planos diretores participativos, entre eles o de Florianópolis e Itajaí (SC), e de Nova Serrana (MG). Atuou como coordenador de políticas municipais de habitação de interesse social de Jaraguá do Sul, Palhoça, Biguaçu e Bombinhas. Foi conselheiro do Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social, em Brasília, por dois mandatos, além de secretário executivo da Associação Nacional de Planejamento Regional e Urbano. Publicou quatro livros sobre cidades e planejamento urbano. Tem forte ligação com a vida cultural e carnavalesca da capital, escreveu enredos para a escola de samba Protegidos da Princesa.